MARIETTA

Dez anos depois de marcar sua carreira solo com “Massarock”, a cantora e compositora Marietta divulga, em todas as plataformas digitais, seu segundo mergulho registrado em “Analógica”. Produzido por Lucas Martins, álbum chega para expressar, de forma original, toda a inquietação poética da artista paulistana. Dessa vez, indo além dos passos cadenciados pelo reggae, mas ainda reverberando fortemente o bass culture, projeto traz elementos fortes e significativos de outras linguagens sonoras que também permeiam seu imaginário criativo, digerindo com mais liberdade diversas referências ainda não comunicadas mais nitidamente. 

 

“Esse álbum fala sobre essência, reunindo grande parte dos meus questionamentos em relação ao mundo atual. Trago pro ambiente simbólico-sutil-simplificado uma visão única e irônica onde inconsciente e mistério afloram. O supérfluo e o excesso nos fazem voltar ao que é essencial, onde a busca pela liberdade de ser e de amar extrapola bitmaps, números e convenções robóticas”, ressalta.

 

Faixa a faixa, timbres eletrônicos de pegada vintage são revisitados sob uma atmosfera de acabamento contemporâneo, criando-se uma cara de “escultura sonora” no ar. Todas as influências se fundem em uma personalidade única pop e moderna, sem perder o charme das velharias e vitrolas. Isso significa que 'Analógica' encontra inspiração na estética sonora groovada-percussiva dos anos 70 no Brasil, na pegada dos bailes funk 80 e 90  onde bombavam balanço, boogie, charme e funk melody. No mesmo molho, toda a força inegável e sintética do POP eletrônico contemporâneo.

 

“De forma melódica e dançante, esse disco provoca o ouvinte de que no excesso de virtual, passamos a buscar o oposto: o corporal. Que o corpo sabe viver e tem seu próprio tempo. Que a feminilidade ampla incorpora o afeto com muito balanço e cadência. E que o ser humano ainda não se perdeu totalmente num mundo que dilacera almas e sentimentos. Ainda estamos aqui, fortes, profundos e fluidos. E creio que estamos todos tendo a oportunidade neste momento dramático de questionar nossos modos de vida e de lembrar da nossa essência: o que faz o “beat bater”. Esse disco chegou para fortalecer nossa volta ao que importa. Autenticidade para somar na sobrevivência da alma”, define. 

 

Lançado pela Ori Records, 'Analógica' conta com as participações especiais de Jorge Dubman (Dr. Drumah), Russo Passapusso, MC All Ice, Ualê Figura e Guilherme Arantes, pai da de Marietta. Assinando a mixagem, Kiddid (Nova Iorque, EUA). Na masterização, Didier (FR). Ao todo, trabalho reúne 12 faixas feitas para tocar muito em caixas, fones e corações atentos.

 

  • Spotify - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
marietta_6_baixa.jpg